domingo, agosto 31, 2014

cristais de água

cristais de água, de masuru emoto:
 
espirito
 
anjo
 
 eterno

 paz
 


 amor - gratidão
 

amor próprio
 
 
 esperança
 
verdade

domingo, agosto 03, 2014

A demanda

 
 
Todo e cada Ser humano é, pelo menos, um potencial de Auto-Cura, sempre latente, sempre à espera de acontecer e de ver, por regra, a luz dos dias lineares da existência material e física.
Esse potencial, contudo, só pode parecer ostensivo e emergente e só manifestar-se inadiável quando a ele se subjaz uma demanda profunda, interna e intrínseca desse mesmo Ser, aportado no seu espírito e alma, no sentido do apelo à sua Consciência, à sua Liberdade e à sua Responsabilidade. E, portanto, no sentido do seu próprio conhecimento, da sua própria consciência de si e da necessidade de compreender, com todo o seu ser (que não só com a mente) a realidade que o rodeia, aceitando-a e modificando-a, pela inerente Vontade e Determinação.
Até tal demanda irromper na existência material e física de cada Ser - e isso é por demais ardúo, crú e doloroso, para além de genuinamente raro -, nenhuma emergência existe que possa determinar a Auto-Cura (que também significa Amar e Auto-Realizar-se) e necessariamente a libertação das amarras da materialidade, do ódio, da escravatura, da doença, da inconsciência e do medo.
Só naquele paradigma, que cada pode um prosseguir, a Auto-Cura é possível, como forma de Realização do seu Ser.
 

eternidade e vida vibratória



"Existem fotões que são grãos de matéria e existe a onda associada. A eternidade está ligada à onda, a imortalidade aos grãos de matéria, aos fotões.

A vida vibratória, no sentido das energias vibratórias que nos animam - e que estão muito bem descritas pelas frase "Tu és luz e luz manter-te-ás", que estão nos textos sagrados, mas que foi mal traduzida para "Tu és pó e ao pó voltarás" -, deriva da compreensão do par Existência / Essência e da sua emergência: a Consciência. A nossa dualidade é a dualidade da onda e da partícula. A vida vibratória eterna seria a via das ondas eternas, da qual não temos consciência nos receptores dos cinco sentidos, que são essencialmente suportes vibratórios corruptíveis. Para ter acesso às constantes físico-químicas da vida material, isto é, à vida do nosso corpo, é preciso estar intensamente encarnado para sentir melhor as energias que entram e circulam no nosso corpo do que as que emergem dele.

Para ter consciência da vida eterna o salto qualitativo é quase incomensurável: de facto, é preciso  possuir receptores - suportes vibratórios incorruptíveis - das energias vibratórias inextinguíveis nas infra-estruturas do nosso duplo."

- Étienne Guillé, in "O Homem entre o Céu e a Terra - Uma nova abordagem da realidade", p. 149 e 150.

sexta-feira, agosto 01, 2014

Ser e não ser

 
Diz a minha experiência que existem, neste tempo e espaço linear e neste mundo de todos os dias - que é paradoxal, desconexo, ilógico e manipulador -, algumas regras (felizmente regras, pois permitem a excepção) simples, facilmente constatáveis (para quem quer ser, ver e sentir e seja minimamente verdadeiro para consigo mesmo, aos olhos nos olhos de si próprio) e que retratam a realidade com singeleza, mínima verdade e ostensiva crueza:
 
1º - entre Amar e Odiar, os seres humanos pululam, a todo o transe e em permanência, por Odiar, que nem sôfregos por qualquer gesto de menor consideração e estima, quanto mais não seja pelos próprios e cada um por si;
 
2º - entre Realizar-se ou Anular-se, cada ser opta pela sua quase anulação intrínseca, que é quase total e generalizada;
 
3º -  entre Saúde e Doença, os seres humanos deste tempo e espaço optam invariavelmente pela doença, seja física, psicológica, mental ou mesmo espiritual, e alimentam-na pior que sanguessugas se alimentam de sangue.
Esta - a doença - é nesta linearidade absurda em que vivem mais barata, mais manipuladora, mais subserviente e mais desresponsabilizante, evitando ad nauseam a identificação das causas (espiritual, emocional ou mesmo física) e a sua cura e auto-cura;
 
4º - entre Consciência e Inconsciência, os seres robotizados deste tempo conhecem só a inconsciência, porque lhes parece ser a única garantia segura e imutável;
 
5º - entre a Liberdade (a sua) e a Escravidão (também a sua), optam pela escravatura, que nem cordeiros mansos prontos para o sacrifício pascal que os anula (os que, atenta à sua natureza, têm algo a ser anulado, entenda-se) na sua condição inalienável de Seres dotados de inteligência a favor de algozes;
 
6º entre Coragem/Vontade e o Medo, escolhem invariavelmente por este, pois este, mesmo fazendo dos mesmos não mais que simples objectos, é mais certo e seguro, qual "apport" do passado que ficcionam que presente e futuro é:
 
A este estado de coisas importa só notar que cada um é um Ser integral e total, que demanda a conjugação do verbo Amar - porque ele mesmo é Amor - e a sua Realização, em Consciência, Liberdade e Vontade.
 
Até porque na existência importa atentar que só existem dois movimentos intrínsecos fundamentais que permitem conjugar o Ser e o ser e o constrói e realiza na sua totalidade e integralidade: um, de cima para baixo (do espírito para a matéria) e de dentro para fora (do centro de cada ser para o exterior).
 
Só neste paradigma - e no caminho específico de conhecimento e que está ao alcance das mãos de cada um - é possível Amar, Realizar-se, ser livre, consciente e genuíno e ter saúde.

Em suma, Viver!

E jamais sobreviver.
 

domingo, julho 27, 2014

love to be

 
 
No recanto de cada Um, para a totalidade de cada e por cada ser, Amar para Ser, sempre, aqui e agora.

E porque cada Um é, para si próprio, a sua única auto-cura possível, verdadeira, genuína e total.

Bem vindo a este espaço!

É seu!